The Firm: De tenso início e uma ótima história, para um piloto morno.
O difícil aqui foi realmente arrumar argumentos legais para definir o que achei e quais foram as minhas primeiras impressões da série. Foi um misto de perseguição, tensão, proteção à testemunha e um advogado criminal que tem sua carreira comprometida não por atos ilícitos, mas por colegas de trabalho corruptos e por casos que ele mesmo venceu contra a máfia.
Por alguns segundos me senti totalmente em Law & Order, mas não por sua semelhança com a série, apenas pelo contato direto com os tribunais e que por sinal focaram sua maior parte do tempo nisso. Tudo bem, é o tema da série com base no personagem principal.
Mas a verdade seja dita, a adaptação da obra de John Grisham é promissora sim, mesmo naqueles momentos em que toda aquela tensão do começo foi diluída e se perdendo transformando a história num ritmo um pouco desgastante, mas que felizmente ou não, foi algo que precisou ser feito, principalmente por sabermos que a história de Mitch MacDeere, precisava ser contada de alguma forma ou outra.
Se o ritmo contado da história do personagem principal não foi realmente o que queríamos, o que desejávamos e esperávamos, isso acaba sendo de menos, mas acredito que este gancho foi necessário, pois sem ele não entenderíamos aquela situação de tensão, corre pra cá e pra lá, e ainda nos levar a um ponto chave.
Mitch nada mais é que um advogado criminalista que por exercer sua profissão de forma honesta acaba por acaso arrumando inimigos, além de ter em mãos casos de interesses de outros, como o da Firma que conseguiu um contrato de sociedade com o escritório dele. Um risco evidente, principalmente pelo que armam e pretendem com o caso de Sarah Holt.
Como já dito, o ritmo não foi dos melhores, mas a história é promissora sim, só precisam saber dosar um pouco destes elementos entre o ritmo lento e aquela tensão toda proporcionada do começo do episódio e o desejo de obtermos respostas como deixaram ao terminar este piloto.
Fica uma boa dica para os fãs do gênero, pois muito além disto, há a máfia atrás de Mitch, problemas familiares que provavelmente aparecerão por conta do serviço de proteção a testemunha, além claro de enfrentar toda a corrupção existente numa obra que já esteve nas telonas em 1994 com Tom Cruise sendo o protagonista.
Elenco:
No elenco tivemos alguns ótimos nomes a começar por Josh Lucas (Uma Mente Brilhante e Poseidon) como o Mitch MAcDeere; Callum Keith Rennie (Amnésia e Efeito Borboleta) como Ray McDeere, irmão de Mitch; Molly Parker (A Estrada, Dexter e Deadwood), como Abby, esposa de Mitch e que recentemente tivemos o prazer de vê-la como Lisa Marshall em Dexter; Tricia Helfer (Dark Blue e Battlestar Galactica) como Alex Clark, a dona da empresa de advocacia na qual Mitch torna-se sócio e que ,por acaso é quem tem interesse num caso especifico dele; Shaun Majumder (Madrugada Muito Louca e  24 Horas) como Andrew Palmer; além de outros grandes nomes que se fosse apenas por isso, valeria bastante a pena ter esperança na série.

Por: Daniel Brandão
Via: Spot

The Firm: De tenso início e uma ótima história, para um piloto morno.

O difícil aqui foi realmente arrumar argumentos legais para definir o que achei e quais foram as minhas primeiras impressões da série. Foi um misto de perseguição, tensão, proteção à testemunha e um advogado criminal que tem sua carreira comprometida não por atos ilícitos, mas por colegas de trabalho corruptos e por casos que ele mesmo venceu contra a máfia.

Por alguns segundos me senti totalmente em Law & Order, mas não por sua semelhança com a série, apenas pelo contato direto com os tribunais e que por sinal focaram sua maior parte do tempo nisso. Tudo bem, é o tema da série com base no personagem principal.

Mas a verdade seja dita, a adaptação da obra de John Grisham é promissora sim, mesmo naqueles momentos em que toda aquela tensão do começo foi diluída e se perdendo transformando a história num ritmo um pouco desgastante, mas que felizmente ou não, foi algo que precisou ser feito, principalmente por sabermos que a história de Mitch MacDeere, precisava ser contada de alguma forma ou outra.

Se o ritmo contado da história do personagem principal não foi realmente o que queríamos, o que desejávamos e esperávamos, isso acaba sendo de menos, mas acredito que este gancho foi necessário, pois sem ele não entenderíamos aquela situação de tensão, corre pra cá e pra lá, e ainda nos levar a um ponto chave.

Mitch nada mais é que um advogado criminalista que por exercer sua profissão de forma honesta acaba por acaso arrumando inimigos, além de ter em mãos casos de interesses de outros, como o da Firma que conseguiu um contrato de sociedade com o escritório dele. Um risco evidente, principalmente pelo que armam e pretendem com o caso de Sarah Holt.

Como já dito, o ritmo não foi dos melhores, mas a história é promissora sim, só precisam saber dosar um pouco destes elementos entre o ritmo lento e aquela tensão toda proporcionada do começo do episódio e o desejo de obtermos respostas como deixaram ao terminar este piloto.

Fica uma boa dica para os fãs do gênero, pois muito além disto, há a máfia atrás de Mitch, problemas familiares que provavelmente aparecerão por conta do serviço de proteção a testemunha, além claro de enfrentar toda a corrupção existente numa obra que já esteve nas telonas em 1994 com Tom Cruise sendo o protagonista.

Elenco:

No elenco tivemos alguns ótimos nomes a começar por Josh Lucas (Uma Mente Brilhante e Poseidon) como o Mitch MAcDeere; Callum Keith Rennie (Amnésia e Efeito Borboleta) como Ray McDeere, irmão de Mitch; Molly Parker (A Estrada, Dexter e Deadwood), como Abby, esposa de Mitch e que recentemente tivemos o prazer de vê-la como Lisa Marshall em Dexter; Tricia Helfer (Dark Blue e Battlestar Galactica) como Alex Clark, a dona da empresa de advocacia na qual Mitch torna-se sócio e que ,por acaso é quem tem interesse num caso especifico dele; Shaun Majumder (Madrugada Muito Louca e  24 Horas) como Andrew Palmer; além de outros grandes nomes que se fosse apenas por isso, valeria bastante a pena ter esperança na série.

Por: Daniel Brandão
Via: Spot

  1. brandao posted this
Blog comments powered by Disqus